CONCESSÕES DO SENHOR

O Senhor!

Concede-nos as bênçãos da luz para que afastemos as angústias da treva.

Permite-nos as alegrias do amor a fim de que cessemos os conflitos do ódio.

Ensina-nos Suas Leis para que destruamos a ignorância.

Envolve-nos em dádivas do bem para que saibamos extinguir o mal.

Dá-nos prosperidade, avaliando-nos o espírito de serviço.

Auxilia-nos carinhosamente a fim de que auxiliemos os outros.

Confere-nos o máximo de energias em nosso benefício próprio para que algo façamos pelos semelhantes.

Proporciona-nos o discernimento, observando se já sabemos auxiliar com amor.

Renova-nos os laços afetivos, verificando-nos o equilíbrio no plano dos sentimentos.

Felicita-nos com revelações queridas, pensando o quilate de nossa renovação necessária.

Mostra-nos paisagens do passado, estabelecendo a harmonia do presente.

Abre-nos o jardim das afeições, ajuizando de nosso comportamento no Amor Universal.

Cede-nos o júbilo da aproximação de alguns laços precisos, analisando se já vivemos na fraternal aproximação com todos.

Empresta-nos tempo para fixarmos as experiências proveitosas.

Enche-nos de bênçãos a fim de que saibamos abençoar.

Dota-nos com soberanas consolações, verificando se sabemos estende-las aos outros.

Cerca-nos de benfeitores para que aprendamos a ciência de agradecer.

Concede-nos guias amorosos a fim de que orientamos retamente o próximo.

Dá-nos direito para descobrirmos nossos deveres.

Oferece-nos o roteiro do Evangelho para que nos elevemos aos montes da Eterna Luz!…

pelo Espírito Nina Arueira – Do livro: União em Jesus, Médium: Francisco Cândido Xavier – Espíritos Diversos.

A DIFERENÇA

A DIFERENÇA

A reunião alcançava a parte final. E, na organização mediúnica, Bezerra de Menezes retinha a palavra.

O benfeitor desencarnado distribuía consolações, quando um companheiro o alvejou com azedume:

— Bezerra, não concordo com tanta máscara no ambiente espírita. Estou cansado de tartufismo. Falo contra mim mesmo. Posso, acaso, dizer que sou espírita-cristão? Vejo-me fustigado por egoísmo e intolerância, avareza e ciúme; cometo desatenções e disparates; reconheço-me freqüentemente caído em maledicência e cobiça; ainda não venci a desconfiança, nem a propensão para ressentir-me; quando menos espero, chafurdo-me nos erros da vaidade e do orgulho; involuntariamente, articulo ofensas contra o próximo; a ambição mora comigo e, por isso, agrido os meus semelhantes com toda a força de minha brutalidade; a crítica, o despeito, a maldade e a imperfeição me seguem constantemente. Posso declarar-me espírita com tantos defeitos?

O venerável orientador espiritual respondeu, sereno:

— Eu também, meu amigo, ainda estou em meio de todas essas mazelas e sou espírita-cristão…

— Como assim? — revidou o consulente agitado.

— Perfeitamente — concluiu Bezerra, sem alterar-se. — Todas essas qualidades negativas ainda me acompanham… Só existe, porém, um ponto, meu caro, que não posso esquecer. É que, antes de ser espírita-cristão, eu fazia força para correr atrás de todas elas e agora, que sou cristão e espírita, faço força para fugir delas todas…

E, sorrindo:

— Como vê, há muita diferença.

pelo Espírito Irmão X – Do livro Momentos de Ouro. Psicografia de Frâncico Cândido Xavier

Download – Livro Fonte Viva

eBook
Fonte Viva
Francisco Cândido Xavier

Esta é uma das obras da conhecida coleção do Espírito Emmanuel, * todas comentando versículos do Novo Testamento. São jóias raras de orientação, aconselhamento e advertências que o autor espiriitual esculpe pela análise do conteúdo do versículo escolhido. Evidentemente, essas páginas, que encerram 180 mensagens proveitosas, provocam reflexões no leitor. Toda a coleção é de grande valia como leitura preparatória nos trabalhos das Casas Espíritas e nas reuniões do Culto do Evangelho no Lar, constituindo-se em verdadeiro manancial de consulta para todo estudioso da Doutrina Espírita. O livro, como os seus congêneres do mesmo autor, são repositórios da mais pura moral evangélica. * Fonte Viva – Vinha de Luz – Caminho, Verdade e Vida – Pão Nosso (Edições FEB)

Download Aqui

TÓPICOS DO AUXÍLIO ESPIRITUAL TÓPICOS DO AUXÍLIO ESPIRITUAL

I

Irmãos Devotados, amigos espirituais então cooperando na Vida Maior em benefício de nossa paz!

Confiemos nas Bênçãos Divina.

II

Prossigamos no caminho da elevação, buscando sempre a bênção e o amparo de Jesus. Os Benfeitores da Vida Maior cooperarão em favor de todos nós.

III

Amigos espirituais de sempre auxiliam-nos na manutenção das forças de nossa fé para o êxito nos testes de calma e serenidade, paciência e compreensão a que tenhamos sido chamados.

Com fé viva em Deus e em nós mesmos, sigamos adiante, hoje e sempre.

IV

Abençoemos e amemos sempre! Diversos Amigos do Plano Maior tem fortalecido as nossas energias para a superação das dificuldades no capitulo da compreensão integral da nossa necessidade de aceitação das experiências indispensáveis da vida.

Todos os nossos pensamentos de paz e esperança alcançam os entes queridos à distância, e estejamos na certeza de que não há semente de amor sem germinação no solo do tempo. Que o Senhor nos fortaleça e dirija.

V

Nossos irmãos em provação prosseguem com a assistência de vários amigos no estudo e na solução de vários problemas de suas lutas redentoras.
VI

Cada noite, consagremos um trecho do tempo às nossas preces particulares, sempre que possível à mesma hora, porquanto, assim, receberemos mais amplo auxílio espiritual à renovação das próprias forças.

O caminho é, por vezes, escuro e pedregoso, mas Jesus vence as trevas e os obstáculos, orientando-nos na jornada.

Guardemos os nossos sentimentos na confiança segura em Deus.

VII

Confiemos na bênção do Senhor que nos sustenta na travessia das provas necessárias.

Estamos, nós, os amigos do outro plano da Vida, a postos, e confiamos no amparo de Jesus, em benefício de todos.

Que o Senhor nos sustente e fortaleça!

VIII

Quando possível, simplifique as preocupações e ajude-se através da serenidade que lhe facultará a sustentação do refazimento físico.

Cada noite, faça o culto rápido da oração e medite os nossos princípios espíritas. Receberá nessas ocasiões a cooperação mais direta dos Benfeitores que lhe assistem os passos.

IX

Nossos queridos companheiros da esfera física prosseguem sob o amparo espiritual de que necessitam, dentro de todas as possibilidades espirituais de auxílio ao nosso alcance.

Do livro Apelos Cristãos. Espírito Bezerra de Menezes. Psicografia de Francisco Cândido Xavier

Fonte: : www.caminhosluz.com.br

Estudo sobre o Livro Fonte Viva – Chico Xavier

ANTEVIDÊNCIA DIVINA

Observe as lições silenciosas que o seu próprio corpo lhe administra, revelando a Antevidência Divina.

Não siga desacautelado.

Seus pés não se apóiam à terra à feição de simples esteios com vontade própria.

Respeite as faculdades genéticas.

Não é por acaso que os órgãos sexuais apenas funcionam sob a sanção do pensamento…

Coma moderadamente.

Seu estômago não é um só devido à falta de espaço no ventre…

Eduque as manifestações emotivas.

Não é à toa que o motor de seu coração vive durante a existência inteira vibrando oculto na caxia do peito…

Trabalhe sempre.

Suas mãos não se encontram desfrutando ampla liberdade de ação, na ponta dos braços, por meros enfeites…

Fale com parcimônia.

Sua língua não vive enclausurada no cárcere da boca por ser feia…

Escute atenciosamente.

Seus ouvidos não existem quais janelas incapazes de vedamento por descuido do Construtor Celeste…

Veja mais além.

Seus olhos não estão elevados sobre a face somente para olharem para baixo…

Discirna tudo.

Sua mente não trabalha como torre de comando de todo o corpo tão só para coroar-lhe a estética…

Atenda à consciência.

Se ela não surge visível em seu organismo é para não ter a voz selável…

Lembre-se, o seu corpo assinala a Excelsa Sabedoria e o Amor Ilimitado d´Aquele que é a Inteligência Suprema e a Causa Incriada de Tudo.

 

pelo Espírito André Luiz – do Livro Ideal Espírita – Psicografia Francisco C. Xavier – Espíritos Diversos.

Fonte: www.caminhosluz.com.br

CIÊNCIA E TEMPERANÇA

“E à ciência, a temperança; à temperança, a paciência; à paciência, a piedade.” – (II PEDRO, 1:6.)

Quem sabe precisa ser sóbrio.

Não vale saber para destruir.

Muita gente, aos primeiros contactos com a fonte do conhecimento, assume atitudes contraditórias.

Impondo idéias, golpeando aqui e acolá, semelhantes expositores do saber nada mais realizam que a perturbação.

É por isso que a ciência, em suas expressões diversas, dá mão forte a conflitos ruinosos ou inúteis em política, filosofia e religião.

Quase todos os desequilíbrios do mundo se originam da intemperança naqueles que aprenderam alguma coisa.

Não esqueçamos.

Toda ciência, desde o recanto mais humilde ao mais elevado da Terra, exige ponderação.

O homem do serviço de higiene precisa temperança, a fim de que a sua vassoura não constitua objeto de tropeço, tanto quanto o homem de governo necessita sobriedade no lançamento das leis, para não conturbar o espírito da multidão.

E não olvidemos que a temperança, para surtir o êxito desejado, não pode eximir-se à paciência, como a paciência, para bem demonstrar-se, não pode fugir à piedade, que é sempre compreensão e concurso fraternal.

Se algo sabes na vida, não te precipites a ensinar como quem tiraniza, menosprezando conquistas alheias.

Examina as situações características de cada uni e procura, primeiramente, entender o irmão de luta. Saber não é tudo. É necessário fazer.

E para bem fazer, homem algum dispensará a calma e a serenidade, imprescindíveis ao êxito, nem desdenhará a cooperação, que é a companheira dileta do amor.

 

 


Livro: Vinha de Luz – pelo Espírito Emmanuel – Psicografia de Chico Xavier.

Fonte: www.caminhosluz.com.br